quarta-feira, dezembro 28, 2011

Guiné revive cenário de golpe com militares nas ruas

Chefe máximo das Forças Armadas fala em tentativa de alterar ordem constitucional. Governo só admite assalto a paiol.

O chefe do Estado-Maior da Armada guineense, almirante Bubo Na Tchuto, foi anteontem detido em Bissau depois de uma tentativa de golpe militar. A acção foi desvalorizada pelo Governo, que admite apenas um "assalto a um paiol". O responsável máximo pelas Forças Armadas, general António Indjai, explicou contudo aos jornalistas que "um grupo de militares quis alterar a ordem constitucional" mas foi imediatamente neutralizado. Ao final da tarde, a situação estava "sob controlo".
Ao longo do dia, foi incerto o paradeiro do primeiro-ministro. Carlos Gomes Júnior, tal como o general Indjai, terá sido inicialmente entregue à Missang (missão militar angolana na Guiné-Bissau) para sua protecção. Relatos iniciais diziam que o primeiro-ministro se tinha refugiado na embaixada de Angola, em frente à sua residência oficial, após uma tentativa de rapto. "Está tudo calmo", disse Gomes Júnior à noite.

[E a crise político-narcotrafico-constitucional continua...]

quarta-feira, dezembro 21, 2011

O Humor Negro do PCP

O PCP emitiu um comunicado sobre a morte de kim Jung-Il.

Diz entre poucas outras coisa, em nenhumas condenando qualquer facto que se passa na república comunista dinástica da Coreia do Norte que:

"O PCP reafirma nesta ocasião a sua posição de respeito e solidariedade para com a soberania da República Popular Democrática da Coreia – RPDC, o direito que lhe assiste a determinar o seu rumo próprio de desenvolvimento em condições de paz e não ingerência nos seus assuntos internos, e o objectivo da reunificação pacífica da nação coreana."

Pode ver aqui este fantástico e hilariante comunicado de imprensa: http://www.pcp.pt/sobre-o-falecimento-de-kim-jong-ii

Não fosse este um humor feito à custa de 25 milhões de almas subjugadas ao infra humano seria mesmo humor do melhor

terça-feira, dezembro 20, 2011

Portuguesa Amélia Torres vai ser porta-voz de Mario Monti

A portuguesa Amélia Torres vai ser a partir de Janeiro uma das porta-vozes do primeiro-ministro italiano Mario Monti, com quem já trabalhou na Comissão Europeia, em Bruxelas, revelou fonte comunitária.

Amélia Torres era até aqui, na "Comissão Barroso", porta-voz do comissário espanhol Joaquín Almunia, com a pasta da Concorrência, que anteriormente, durante a presidência de Romano Prodi, havia sido tutelada pelo novo chefe do governo italiano.

Em conferência de imprensa hoje realizada em Bruxelas, Almunia agradeceu o trabalho da porta-voz portuguesa, que parte para Itália no começo de 2012, ficando responsável pelo contacto com a imprensa internacional.

sexta-feira, dezembro 16, 2011

Federação de Transportes espanhola faz queixa contra Portugal por introdução de portagens

A Federação Nacional de Associações de Transportes de Espanha vai apresentar uma queixa aos ministérios dos Assuntos Exteriores e do Fomento alegando que Portugal está a violar o Tratado de Valência com a introdução de portagens.

A notícia é avançada pela agência Efe, que recorda que o Tratado de Valência foi assinado entre os Ministérios dos Negócios Estrangeiros de Portugal e Espanha, em 2002 tendo em vista a cooperação transfronteiriça.

Em declarações à agência, o secretário-geral da Fenadismer, Juan Antonio Millán, disse que a queixa será apresentada formalmente nos próximos dias aos dois ministérios.
"Entendemos que com as portagens que entraram em vigor no dia 8 de Dezembro em várias concessões portuguesas não se está a cumprir o tratado, já que Portugal está a discriminar os condutores espanhóis e europeus ao aplicar benefícios aos locais", explicou Millán.

Esta situação, acrescentou, "vai contra o espírito de cooperação transfronteiriça do Tratado de Valência, assim como de outro tratados da União Europeia e até da própria directiva da União que autoriza a imposição de taxas e portagens".
Esta directiva estabelece que se pode dar um tratamento especial às zonas transfronteiriças para favorecer a coesão territorial e não colocar dificuldades à livre circulação, disse.

A Fenadismer levou também o tema à União Europeia e, no caso particular da antiga SCUT do Algarve, recordou que afecta a euro região Andaluzia-Algarve-Alentejo.

A 8 de Dezembro passaram a ser cobradas portagens nas antigas SCUT A23 (entre Torres Novas/Abrantes e a Guarda), A24 (entre Vila Verde/Chaves e Arcas-Estrada Nacional 2), A25 (entre Aveiro e Vila Formoso) e A22 (entre Lagos e Castro Marim/Vila Real de Santo António).

Cadeia Walmart já vende produtos portugueses

A empresa luso-canadiana Ferma Foods Products está a introduzir alimentos portugueses nos grandes supermercados do Canadá pertencentes às cadeias Walmart, Loblaws, Metro, Super C e Sobys, entre outros.

O presidente da companhia, o maior importador de produtos alimentares nacionais para o Canadá, justificou tratar-se de uma estratégia decorrente da própria evolução do seu mercado que "está a tornar-se menos português e mais canadiano", pese embora a prioridade seja servir os luso-canadianos.

António Braz Belas elucidou que o objectivo principal é "os produtos portugueses chegarem às grandes superfícies para que o português possa ter o produto que comprava nas mercearias portuguesas de bairro", que têm encerrado, por não rejuvenescerem e serem apanhadas pelo movimento geral de maior procura dos hiper, em detrimento do pequeno comércio.

Como resultado, "nos últimos anos, a Ferma cresceu, não nos portugueses, mas nos mercados canadianos em geral. Hoje os portugueses são 45% do nosso mercado", adiantou o gestor. A entrada progressiva nos hiper abriu caminho, por outro lado, a que consumidores canadianos estejam a comprar produtos nacionais, como água do Luso, sardinhas, polvo e outros da marca Ferma, em supermercados de costa a costa do país - desde a província Quebeque, Ontário, Manitoba e Alberta, à Colúmbia Britânica.

No caso da cadeia americana Walmart, para já os produtos portugueses estão apenas disponíveis no Canadá e não nos Estados Unidos, especificou o responsável.
"90 por cento dos produtos que importo vêm de Portugal. A começar pelo peixe fresco e congelado, azeite do Norte e do Alentejo, conservas de Matosinhos, bacalhau, queijos, águas minerais, café, refrigerantes, biscoitos, inhames dos Açores, castanha, azeitonas e tremoços", enumerou.

Do catálogo com mais de 500 produtos constam muitas marcas nacionais conhecidas, entre elas, Delta, Victor Guedes, Sumol, Luso, Caramulo, águas das Pedras e Castello, Bom Petisco.
A Ferma comercializa igualmente produtos sob a sua marca, cujo logotipo combina as quinas e as cores da bandeira portuguesa com uma folha de acer (símbolo nacional do Canadá).

Com sede em Etobicoke desde 2009, junto a Toronto, a empresa faz a distribuição a partir deste armazém e de outro em Montreal, através da frota de 18 camiões.
Em quatro décadas, Braz Belas construiu o maior grupo importador e distribuidor de produtos portugueses no Canadá e tornou-se multimilionário, num trajeto de êxitos que deve à sua visão e ao "bichinho" pelo negócio. Oriundo de Cheleiros, Mafra, António tinha 15 anos quando emigrou com a família para Toronto, em 1971.

A Ferma é uma "média empresa especializada no segmento étnico de origem portuguesa", mas não revela o volume de negócios, com o argumento de que é privado.
Ao fim de oito anos tinha a estrutura vertebral do seu grupo, entrando sempre em áreas que desconhecia por completo, como o peixe, as hortícolas e outros produtos alimentares. "Mas aprendi porque, como tudo na vida, temos que encarar as decisões que tomamos e depois há que fazer o melhor", frisou.

Deu o primeiro passo em 1973 quando abandonou a escola para trabalhar na Peixaria Portugal, adquirida pelo pai, mas dois anos depois quis deixar crescer o bigode, para aparentar mais idade e ser ele próprio a firmar a compra, à revelia do pai, de um pequeno mercado, a que chamou Belfoods.
Os negócios florescem e, em 1979, deu um mais passo com a aquisição da empresa Ferma (originária de Montreal) ao empresário Armando Rocha, arrecadando a marca e a parcela das importações.
Ao longo dos anos não parou de reforçar os negócios e empresas, mas agora é tempo de consolidar, com apelo às novas tendências e necessidades do mercado.

quarta-feira, dezembro 14, 2011

Novo presidente da Star Alliance fala português

Mark Schwab fala fluentemente português e será o novo presidente executivo da Star Alliance, a partir de Janeiro de 1 de Janeiro de 2012. Substitui no cargo Jaan Albrecht, que por sua vez vaia ocupar o lugar de CEO na Austrian Airlines.

A fluência de Schwab no português resulta do facto de ter começado a sua carreira na aviação no Rio de Janeiro, Brasil, em 1975, ao serviço da Pan American Airways. Depois disso, este norte-americano. ocupou posições na United Airlines, US Airways e American Airlines, mas liderando a representação destas companhias no estrangeiro, na América Latina, Europa e Ásia.

A nomeação de Schwab foi consensual para os 28 presidentes executivos das companhias aéreas que constituem a Star Alliance a anunciada ontem em Adis Ababa, capital da Etiópia.
Esta escolha foi antecedida de uma prospecção a escala mundial, tendo concorrido ao lugar vários candidatos com qualificações semelhantes. Mark Schwab convenceu-nos pela sua vasta experiencia nesta industria e pelos seus conhecimentos no plano internacional”, justificou Rob Fyle, presidente executivo da Air New Zealand e chairman da comissão executiva da Star Alliance.

segunda-feira, dezembro 12, 2011

Guiné Equatorial: Miguel Relvas defende que CPLP deve estar "aberta a todos"

O ministro português Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, defendeu hoje em Maputo que a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) deve estar "aberta todos", numa referência à adesão da Guiné Equatorial como estado-membro da organização.

"Temos que ser capazes também de evoluir a língua portuguesa e a lusofonia, que sempre foram universalistas. Sempre fomos capazes de nos abrir aos outros. Nunca nos fechámos aos outros", disse Miguel Relvas, respondendo em Maputo a uma questão sobre a candidatura da Guiné Equatorial à CPLP.
O ministro português falou hoje aos jornalistas no final de um encontro com o Presidente moçambicano, Armando Guebuza, no último dia da sua visita de trabalho de cinco dias à capital moçambicana, que serviu para "fortalecer as relações entre Portugal e Moçambique e falar sobre a Cimeira da CPLP de Maputo em 2012", que deverá decidir o processo de adesão da Guiné Equatorial.

[A realpolitik exige que a Guiné Equatorial entre na CPLP. Fazer demagogia acerca daquele país - citando principalmente o carácter do regime (ditatorial), mas não muito diferente do existente em Angola - não contribuirá para resolver os  problemas económicos de Portugal, nem contribuirá com a entrada no fórum da CPLP para uma maior pacificação interna e para o caminho democrático que os guiné-equatorianos necessitam.]

segunda-feira, dezembro 05, 2011

Escolas de gestão da Nova e da Católica ultrapassam Cambridge no ranking do FT

O ranking do Financial Times (FT) que elege as melhores "business schools" da Europa coloca este ano duas instituições portuguesas no top 40.
O ranking do FT que elege as melhores “business schools” da Europa coloca este ano duas instituições portuguesas no top 40. A escola de gestão da Universidade Católica (UC) ficou colocada na 33ª posição, enquanto a escola de gestão da Universidade Nova (UN) de Lisboa ficou seis lugares abaixo, no 39º lugar. Ambas ultrapassaram instituições reputadas como a Universidade de Cambridge.

Apesar do FT ter outros rankings específicos para cada uma das áreas de formação das “business shool”, a tabela agora conhecida é considerada o “ranking dos rankings”. É uma avaliação que faz média de todas as ofertas formativas das escolas de gestão.

José Ferreira Machado, director da Faculdade de Economia da UN de Lisboa (FEUNL), destaca a importância do feito atingido. “Portugal e Lisboa têm duas escolas entre as 40 melhores, o que é algo de absolutamente extraordinário. Estamos à frente de nomes que toda a gente conhece como: Cambridge, a Copenhaga Business School, a escola de Colónia ou a MHH da Noruega. São escolas de grande reputação, e que, muitas vezes, os nossos alunos querem frequentar”, enfatizou.

Ferreira Machado salienta ainda que a UN foi a “escola que mais subiu” comparativamente com 2010. Foram 34 lugares: “Numa escola pública, e num ano em que as entidades públicas estão a ter enormes dificuldades, é um feito extraordinário. O segredo é acreditar que é possível e trabalhar para esse fim, bem como não desanimar com os insucessos”, frisou. A escola de gestão da UC ficou em 62º em 2010, e este ano galgou 29 lugares na tabela.

As ofertas de formação na área da gestão FEUNL têm actualmente 2000 alunos. “Temos muito potencial de crescimento. Vejo de forma muito positiva a possibilidade de subida e daqui a 10 anos ambicionamos chegar ao ‘top ten’”, rematou.

quarta-feira, novembro 23, 2011

Greve Geral

O que eu realmente gostaria de ver era uma greve contra subvenções vitalícias, a exploração que o estado faz dos seus cidadãos particularmente os pequenos empresários e trabalhadores por conta de outrem, pensões milionárias e pensões de miséria, o excesso de funcionários públicos incompetentes, sindicalistas que há 30 anos não fazem nada e chupam o estado (ou seja o contribuinte), mordomias como motoristas e afins, médicos que não trabalham, juízes que não decidem...

Isso sim é que era uma greve geral justificada.

Dizem que os patrões exploram os seus trabalhadores. O estado explora-os a todos e saem impunes, e é curioso ver que os que mais berram são parte do problema e não da solução.

terça-feira, novembro 22, 2011

Pastel de nata e bifanas à conquista da China

Os dois símbolos da presença portuguesa em Macau passam pelo estômago. Quem levou os pastéis para Macau não foi um português. Foi um escocês
 
Depois das ruínas de S. Paulo, os dois símbolos mais conhecidos da presença portuguesa em Macau passam pelo estômago: o pastel de nata e a bifana. Turistas da China, de Hong Kong e dos restantes países desta região fazem bicha diante do Café & Nata para provar e comprar uma ou duas embalagens do “verdadeiro pastel de nata”.

O Café & Nata tem a fama (e o proveito...) de fabricar os melhores pastéis de Macau, o que os leva a ser tão procurados como os de Belém. Por dia vende cerca de 10 mil e cada um custa quase um euro. Nas principais zonas turísticas da cidade, mais de duas dezenas de pastelarias chinesas vendem a “portuguese egg tart”, ou “Pou Táh”, em cantonense.
Curiosamente, quem trouxe a iguaria portuguesa para Macau e lançou a moda foi um escocês, Andrew Stow. Depois de uns anos a trabalhar como gerente de uma discoteca na Taipa, muito frequentada por portugueses, resolveu mudar de ramo e abriu uma pastelaria na ilha de Coloane – Lord Stow’s Bakery. A introdução do pastel de nata no menu teve origem numa promoção feita pelo hotel, que trouxe pasteleiros portugueses e, durante várias semanas, vendeu pastéis de nata na sua coffe shop. Stow percebeu que havia ali um nicho de mercado. Em 1989 abriu o Café & Nata, em pleno centro da cidade, perto do Hotel Lisboa. Stow morreu há cinco anos e o negócio, hoje, está nas mãos da viúva, chinesa, Margaret Wong.

A KFC mandou uma equipa de pasteleiros estagiar no Café & Nata, durante duas semanas, antes de lançar o produto na China”, lembra Margaret, que conta histórias curiosas sobre a “abordagem” ao pastel de nata por parte dos turistas vindos da China: “Alguns pedem-me ‘fai-chis’ (pauzinhos...) para comer, outros sacam de uma colher, rapam o recheio e deitam fora a ‘casca’.
Fiona Wan vive do outro lado das Portas do Cerco, em Zhuhai, e desloca-se a Macau com alguma frequência. “Levo sempre duas ou três embalagens de pastéis de nata, porque os amigos me pedem”, explicou enquanto aguardava a vez no Café & Nata, com duas dezenas de pessoas à frente. “Mas eles pedem-me que compre aqui, porque são os mais saborosos”, explica.
 

Televisão: Emmy para "Laços de Sangue" mostra importância de produzir em português

A co-produção da SIC e da TV Globo Laços de Sangue conquistou, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, o Emmy de melhor telenovela. Esta é a segunda vez que a ficção nacional e a televisão portuguesa recebem uma distinção internacional.
A telenovela da SIC, cujo último episódio foi para o ar em Outubro e que teve um milhão e meio de espectadores, juntou no pequeno ecrã nomes como Diana Chaves, Diogo Morgado, Joana Santos, Lia Gama, Custódia Gallego e João Ricardo, foi nomeada na categoria de Melhor Novela Internacional, vencendo as concorrentes Araguaia (Brasil), também uma produção da TV Globo, Contra las Cuerdas (Argentina), e Precious Hearts Romances presents: Impostor (Filipinas).

A produção nacional, com direcção de argumento de Pedro Lopes da SP Televisão e coordenação de Aguinaldo Silva da TV Globo, conta a história de duas irmãs (Diana Chaves e Joana Santos) separadas na infância depois de um trágico acidente e que se voltam a encontrar anos mais tarde, envolvendo-se num triângulo amoroso, marcado pelos planos de vingança da irmã que em pequena acabou por ser adoptada e afastada da sua família biológica.

"'Laços de Sangue’ é uma história fortemente enraizada na realidade portuguesa, de dramas e conflitos próprios de uma sociedade contemporânea, mas onde o amor continua a ter papel central na vida de qualquer um. Uma novela de mulheres de armas, que, contra todas as contrariedades, decidiram arregaçar as mangas e lutar pelo sonho em que acreditam", pode-se ler na apresentação da novela.

A par de Portugal, com um galardão cada esteve a Bélgica (Melhor Comédia para Benidorm Bastards), o Canadá (Melhor Documentário com Life with murder e a Suécia (Melhor Minissérie ou Telefilme para Millennium), destacando-se ainda o programa chileno Con qué sueñas?, da cadeia TVN, considerado o melhor programa infantil e juvenil, e que conquistou o primeiro Emmy para o Chile.

Em 2010, a telenovela portuguesa da TVI Meu Amor, uma produção da Plural Portugal, escrita por António Barreira, protagonizada por Rita Pereira, Margarida Marinho e Alexandra Lencastre, fez história na televisão ao arrecadar o primeiro Emmy para Portugal, também na categoria de Melhor Telenovela.

A 39ª edição dos Emmys internacionais, atribuídos pela Academia Internacional das Artes e Ciências da Televisão dos Estados Unidos e que premeiam o que de melhor se faz nas televisões de todo o mundo, excluindo as americanas, que têm um evento exclusivamente dedicado às suas produções, foi apresentada por Jason Prestley e contou com a presença de Lady Gaga.

Macau já pediu orientações a Pequim para avançar com reforma política

 
O Executivo de Macau pediu orientações a Pequim para avançar com uma reforma política até 2013, em linha com os passos dados por Hong Kong, anunciou hoje a secretária para a Administração e Justiça, Florinda Chan.
O chefe do Executivo garantiu na semana passada, e pela primeira vez, que é em 2012 que o Governo avançará com uma reforma política e que essa é uma prioridade, mas os deputados quiseram hoje saber mais detalhes sobre o processo.
"Para acionar o desenvolvimento do sistema político, qual será o modelo a seguir e como deve o processo ser desenvolvido? A decisão cabe ao Governo central, não nos podemos esquecer da situação de Hong Kong", afirmou no hemiciclo Florinda Chan.

No primeiro dia de debate setorial das políticas para 2012, a governante explicou que o "chefe do Executivo já enviou na semana passada uma carta ao Comité Permanente da Assembleia Nacional Popular (ANP) [constitucionalmente "o supremo órgão do poder de Estado na China"] para ser acionado o processo".
"A alteração da Lei Básica [a mini-constituição da Região Administrativa Especial chinesa] cabe à ANP e temos de ter uma decisão clara desse órgão (..), foi-lhe, por isso, pedido para explicar os procedimentos a observar", adiantou.
O próximo passo, observou, é "auscultar a sociedade de forma alargada" com o objetivo de se "concluírem todos os trabalhos" para que a reforma seja implementada nas eleições legislativas de 2013 e do chefe do Executivo, em 2014.

"Vamos envidar esforços para que a população participe ativamente no processo para se alcançar um consenso social", garantiu a secretária ao sublinhar que o "Governo encara a questão com realismo e no âmbito da Lei Básica, uma vez que os poderes estão concentrados no Governo central, e que o ponto de partida serão os interesses gerais de Macau".
Florinda Chan disse que, até 21 de novembro, foram recolhidas "cerca de 180 opiniões de especialistas, académicos, políticos e dirigentes de associações", mas que agora se espera uma "participação maciça da sociedade".
A análise das opiniões recolhidas permitiu concluir que, "de um modo geral, os diversos sectores da sociedade entendem que a manutenção da estabilidade do sistema político é essencial para assegurar a prosperidade, estabilidade e o desenvolvimento de Macau a longo prazo, e, em simultâneo, consideram serem necessárias alterações" ao sistema eleitoral para se "adaptar melhor à evolução" social, referiu.
"Há ainda quem entenda que se deve concentrar todos os esforços no desenvolvimento económico, na melhoria da qualidade de vida da população, enquanto outros defendem que a questão de desenvolvimento do sistema político tem de ser ponderada com prudência e submetida a discussões racionais", acrescentou.

A Assembleia Legislativa de Macau tem 29 deputados, dos quais 12 são eleitos pela população, sete nomeados pelo chefe do Executivo e dez escolhidos entre as associações, e o líder do Governo é escolhido por um colégio eleitoral de 300 elementos da sociedade civil.
O Conselho Legislativo de Hong Kong tem 60 deputados e nenhum nomeado pelo Executivo, e o líder do Governo é escolhido por uma comissão eleitoral com 800 membros, mas já em 2012 será eleito por 1.200 pessoas no âmbito de uma reforma aprovada por Pequim e que prevê ainda a criação de dez lugares no hemiciclo para 70.

sexta-feira, novembro 18, 2011

Timor-Leste: Centro de Língua Portuguesa comemora dez anos

O Centro de Língua Portuguesa/Instituto Camões da Universidade de Timor-Leste em Díli celebrou hoje o 10º aniversário com "grande orgulho" e com o anúncio do aumento do números de alunos a receber no próximo ano lectivo.

 

"É um motivo de grande orgulho. Um motivo de grande orgulho primeiro por Timor-Leste ter escolhido a mesma língua. São muitos países, são 250 milhões a falar português, e é um grande orgulho que o departamento tenha feito um trabalho tão meritório desde a sua criação há 10 anos", afirmou Maria Chaves, conselheira cultural da embaixada de Portugal em Díli.

Segundo Maria Chaves, cada vez há mais formandos a procurar aprender língua portuguesa.

terça-feira, novembro 08, 2011

Macau apaga símbolos portugueses de documentos oficiais

Governo de Macau diz que as cópias em PDF não têm brasão por não serem “arquivo histórico”.

O governo de Macau decidiu retirar o brasão de armas de Portugal das capas de todos os boletins oficiais disponíveis online e em ficheiros PDF com data anterior a Dezembro de 1999. A Imprensa Oficial de Macau, organismo responsável pela edição do Boletim Oficial (o equivalente ao Diário da República em Portugal), apagou, um a um, todos os brasões reproduzidos em PDF, que deviam ser cópias integrais das edições em papel.

O facto foi tornado público no semanário católico “O Clarim”, num artigo de opinião de João Gomes, que comparou a “limpeza” dos boletins oficiais com os excessos da Revolução Cultural na China, quando tudo o que fosse estrangeiro era considerado “condenável e alvo de destruição”.

O cônsul português em Macau, Cansado de Carvalho, confessou, em declarações ao diário “Hoje Macau”, não estar a par do assunto e remeteu eventuais declarações para mais tarde, depois de ver os PDF. “Não consulto o Boletim Oficial diariamente, contudo o que mais me importa é saber que a lei e todo o seu conteúdo material não é alterado. Esse sim é o legado negociado aquando da transferência e deve ser mantido até 2049”, acrescentou.

Um responsável da Imprensa Oficial de Macau explicou, a jornalistas portugueses, que o governo de Macau “só apresenta em circunstâncias normais o emblema regional da RAEM”. O formato PDF, segundo mesmo responsável, “destina-se apenas a facilitar a consulta da legislação e do respectivo conteúdo por parte dos cidadãos, não constituindo um arquivo integral ou histórico da sua versão impressa”.

As interpretações divergem. Amélia António, advogada e presidente da Casa de Portugal em Macau, lembrou ao diário “Hoje Macau” que, se um documento em PDF “tiver características de fac-símile do Boletim Oficial, não deve ser retirado o escudo porque um fac-símile tem valor e reproduz o original”.

O assunto tem marcado a imprensa macaense. O director da “Tribuna de Macau”, José Rocha Dinis, em editorial, afirmou que apagar o brasão de armas não era somente “uma deselegância de muito mau gosto”, mas retirava também “toda e qualquer credibilidade aos PDF dos boletins”. “Se ‘limparam’ o escudo, quem pode garantir que não fizeram outras adulterações gráficas?”, questionou o director do diário mais antigo de Macau. E o director do “Hoje Macau”, Carlos Morais José, foi mais incisivo: “Retirar o escudo português da legislação pré-1999 inscreve-se num conjunto de acções, mais ou menos conscientes, que promove o apagamento da história de Macau.”

Se o brasão desapareceu dos documentos oficiais em papel, há um que continua de pedra e cal: um edifício de Macau, onde funcionavam as Oficinas Navais, continua a tê-lo. É um sítio onde todos os dias passam milhares de turistas chineses, para visitar o Templo da À-Má, o maior e mais conhecido templo chinês de Macau.

segunda-feira, novembro 07, 2011

Cavaco Silva entre os chefes de Estado mais gastadores da Europa

Os 16 milhões de euros anuais são um valor 163 vezes superior à presidência de Ramalho Eanes

A Presidência da República representa uma factura de 16 milhões de euros por ano, o que corresponde a um valor de 1,5 euros por cada português.
Este número sustenta 12 assessores e 24 consultores, além dos restantes elementos do séquito pessoal que assegura o financiamento da presidência da República.
Cavaco Silva faz-se rodear de um regimento de quase 500 pessoas, fazendo com que os 300 elementos a trabalhar no Palácio de Buckingham, e os 200 que servem o rei Juan Carlos de Espanha pareçam insignificantes.

Os 16 milhões de euros anuais são um valor 163 vezes superior à presidência de Ramalho Eanes, gastando o chefe de Estado luso o dobro do rei de Espanha (8 milhões).

D. Duarte Pio: Políticos devem ser responsabilizados

O pretendente ao trono português, D. Duarte Pio de Bragança, defende que os políticos sejam responsabilizados por má gestão quando tenha havido má fé ou obtenção de benefícios e admite que a actual situação de Portugal deve ser alvo de análise.

"É preciso moralizar a classe política. Como em qualquer profissão ou actividade, os políticos devem ser responsabilizados", disse à Lusa.

"Não podem ser perdoadas as práticas de má gestão quando foram praticadas com má fé e para obter benefícios", sublinhou o chefe da Casa Real portuguesa, dando como exemplo "grandes fortunas que abençoaram inexplicavelmente famílias de alguns políticos".

Questionado sobre a possibilidade de ser aberto um inquérito parlamentar para apurar responsabilidades sobre a actual situação económica do país - como aconteceu na Irlanda - Duarte Pio admitiu ser necessário fazer uma análise.

"Quando uma situação corre mal, é necessário fazer uma análise para perceber o que aconteceu e para que não se repita no futuro. Esta situação não é diferente", concluiu.

A crise financeira já foi alvo de investigações em dois países europeus - Islândia e Irlanda - e nos Estados Unidos, sendo que o Reino Unido decidiu investigar também as respostas da própria Comissão Europeia à crise.

sexta-feira, novembro 04, 2011

Portugal também precisa de um corte de 50%

Sim, é precisamente isso. Portugal precisa de um corte de 50%, mas não estou a falar de perdões de dívida.

Há factos que são indesmentíveis, a começar pelo facto de que NÃO HÁ DINHEIRO. O país é no mundo um, senão mesmo o, que menos cresceu na última década. Só esse dado deveria comprovar sem reservas o que será descrito neste texto.

O grande calcanhar de Aquiles deste governo é sobretudo o facto de pedir austeridade, legítimo face às condições, mas não nos apresenta qualquer desfecho, uma qualquer luz ao fundo do túnel. Mais uma vez navega-se à vista. E a única saída possível deste rumo é o definhar do país e um empobrecimento sem escape.

Só há um caminho a trilhar, e que é diametralmente oposto àquele indicado pelos acampados deste mundo.

Portugal, só tem uma solução para crescer e assim fazer face aos seus compromissos. CORTAR 50%. Ou melhor o governo e o estado tem de iniciar uma redução de metade do seu peso na economia que é ele próprio metade da economia, e isto apenas directamente. No mundo a história repete-se, o crescimento e o enriquecimento é feito pelos privado, é feito pela sociedade. Elevados consumos do estado apenas fazem com que a sociedade se desmorone e empobreça.

Relembro-vos, que o estado não tem dinheiro, e o dinheiro que gasta a rodos não é dele, é pura e simplesmente sacado dos privados, dos contribuintes.

A Luz ao fundo do Túnel só se acenderá quando de facto o governo nos diga vamos cortar o estado a metade. A metade nos funcionários, a metade o dinheiro que gasta, a metade o peso na economia. Mas também a metade todos os impostos. Só dessa forma se poderá impulsionar o investimento, impulsionar o consumo e assim o crescimento e enriquecimento. O Estado ao apropriar-se de metade da riqueza do país só está gerar mais desigualdades e mais miséria. Precisamos de "reiniciar" o sistema, e este choque é o único capaz de nos tirar do ventilador.

De resto tem de se mudar muito, a saúde, a educação, particularmente a justiça, mas reforme-se o que se quiser, com um estado omnipresente não iremos a lado nenhum....

quinta-feira, novembro 03, 2011

Alemães procuram obra roubada de Damião de Góis


A polícia alemã está a recorrer à Internet e a editoras especializadas para tentar recuperar um valioso livro de Damião de Góis roubado na Feira do Livro de Frankfurt.

A obra, uma edição original escrita no século XVI, com valor estimado de 18500 euros, desapareceu do pavilhão do alfarrabista holandês Asher Rare Books a 16 de Outubro - último dia da edição deste ano da maior mostra livreira mundial.

"Alguém levou o livro enquanto os funcionários do pavilhão estavam a conversar com o público. A polícia foi avisada rapidamente e foram feitas buscas nas imediações mas não se encontrou nada", disse um porta-voz da polícia de Frankfurt.
Os investigadores colocaram, entretanto, uma foto da capa do livro na página da polícia do Estado de Hessen na Internet, e esperam a colaboração de editoras especializadas para tentar resgatar a obra.
"Trata-se de um livro que não se pode vender de qualquer maneira porque está num índex. Qualquer editora notaria logo de que se trata, por isso, supomos que possa ter sido roubado para ser oferecido a colecionadores", disse a mesma fonte.

A obra de 30 páginas, redigida em 1542 pelo humanista Damião de Góis, uma importante figura do Renascimento, nascido em Portugal, em 1502, intitulava-se "Hispania damiani a goes equitis lusitani" e foi originalmente impressa em Lovaina, na Bélgica.
O tablóide alemão Bild noticia o roubo na sua edição regional, e afirma, com base no parecer de especialistas, que um coleccionador poderá pagar pela livro dez vezes mais do que o valor que lhe está atribuído.

quarta-feira, novembro 02, 2011

Índice de Desenvolvimento Humano 2011

Mais uma vez a ONU revelou este índice que analisa a Qualidade dos Países e não apenas a riqueza.

Aliás o nosso estado social é tão bom que em termos de PIB variamos entre 33º e 38º segundo as fontes e no IDH estamos em 41º.

41º atrás desses países tão desenvolvidos como a Eslovénia, Chipre, Estónia, Eslováquia ou Hungria. Fantástico.

Eu ao longo destes anos também tenho vindo a focar um ponto que poucos têm analisado que é a questão do melhores países para se ser cidadão são os países com uma monarquia constitucional. Este ano e novamente, embora os países com monarquia serem menos de um terço dos países com regime republicano, dominam o top 10 do IDH.

Os três de topo são monarquias, a saber: Noruega, Austrália e Holanda. Países como se pode compreender em nada são democráticos como dizem os republicanos cá do burgo!

Em seguida a primeira república, no 4º posto o EUA que têm nos últimos anos subido bastante, provavelmente com a introdução de mudanças profundas no sistema de saúde e educação.

Depois mais duas monarquias embora particulares, a Nova Zelândia e o Canadá. Neste top 10 apenas aparecem três repúblicas, o referido EUA, Irlanda em 7º e Alemanha em 9º.

Restam ainda o Liechtenstein e a Suécia a defender a liderança das por larga margem das coroas face à senhora com o seio destapado.

A França, alma mater do republicanismo aparece em 20º.

E a história repete-se ano após ano... mas isso não interessa nada pois não!

sexta-feira, outubro 28, 2011

Prescrição por Denominação Comum Internacional dos medicamentos



Lá se vão as viagens "científicas" custeadas pelos laboratórios farmacêuticos aos senhores que exercem a medicina.

O 13º mês

Eu já tinha visto este exemplo a justificar o 13º mês e tinha achado curioso. Dizem alguns que o 13º mês não existe na prática e que serve para acerto de contas na remuneração ao final do ano. E isto sobretudo em comparação com países como a Inglaterra que paga à semana. Este subsídio foi criado durante o governo de Marcelo Caetano.

Ora diz-nos esta regra que...

Imaginando um ordenado de 1000 euros ao fim do ano ter-se-ia ganho 1000x12=12000.

somando o 13º mês teríamos 12000+1000=13000

Ora o busílis está aqui... Se dividirmos os 1000 euros por 4 semanas de um mês daria 250 euros por semana de trabalho. Sendo que um ano tem 52 semanas o resultado é 250x52= et voilá 13000 euros.

Aparentemente então está tudo explicadinho com matemática e faz sentido... dizem os defensores desta tese que ao tirar 13º mês não se está a pagar todo o ano de trabalho.

Esta tese só tem um problema, na realidade um mês pode ter 4 ou 5 semanas o que segundo a tese o 13º mês completa. Mas vamos a contas. Sendo que um ano tem 52 semanas o valor correcto de semanas por mês é de 4,34 (arredondado a 2 casas decimais) e não 4. Assim sendo 1000 euros divididos por 4,3 = 230,41 cêntimos de euro. Ora seguindo o mesmo raciocínio 230,41 x 52= 11981,32 euros. Afinal se calhar ainda fica dever ao empregador. Bom eu sou a favor que se pague bem, embora não perceba muito bem porque se trabalhem 11 meses e se paguem 14. Só peço então que não venham à baila argumentos demagógicos.

terça-feira, outubro 25, 2011

Letónia é o mais recente mercado de Reguengos de Monsaraz

A Letónia é o mais recente mercado internacional dos vinhos da Cooperativa Agrícola de Reguengos de Monsaraz (Carmim), que pretende apostar também, a médio prazo, nas exportações para a Lituânia e Estónia, revelou hoje a empresa.

"A Carmim deu início a uma parceria com um importador na Letónia", anunciou a empresa, sublinhando que o negócio vai ao encontro da "estratégia de penetração em novos mercados, com especial enfoque no Leste Europeu".

A entrada na Letónia, além de visar a distribuição nesse mercado, realça a cooperativa alentejana, "serve igualmente um segundo propósito, de médio prazo, que passa pela expansão para os restantes países Bálticos, a Lituânia e a Estónia".

segunda-feira, outubro 24, 2011

BES admite aquisições para duplicar dimensão em Espanha

Ricardo Salgado diz, em entrevista ao jornal espanhol Expansión, que o banco tem um "espaço importante para crescer em Espanha na banca de retalho".
Estamos em condições de ampliar a nossa presença na banca de retalho em Espanha, inclusive duplicar” a dimensão, disse o presidente do Banco Espírito Santo ao jornal espanhol.

Salgado fala mesmo em “comprar alguma rede de sucursais”, mas por outro lado, descarta entrar no movimento de fusões e aquisições que se anuncia com a nova lei a aplicar às “cajas” e em resultado da crise.
O presidente do BES salienta que o banco tem que cumprir as exigências impostas pela troika à banca portuguesa e destaca que o banco tem uma presença “muito importante” em Espanha e “estamos a crescer na captação de depósitos”. Além disso, o BES representa uma ponte entre as empresas com actividade de ambos os lados da fronteira e, “com 25 sucursais, temos um espaço importante para crescer em Espanha na banca de retalho”.

O jornal espanhol diz que, entre as opções do BES para crescer em Espanha, está a compra de alguma rede de “cajas que se tenha formado recentemente, aquisição de activos que sobrem de operações de concentração (como a que está em curso entre o Popular e o Pastor) ou de balcões que podem vir a ser alienados por bancos estrangeiros presentes em Espanha.
Neste último caso o Expansión cita o Caixa Geral, unidade da CGD em Espanha. “Um entendimento com a Caixa Geral seria fácil”, refere  Salgado, salientando que em Espanha o banco português prevê obter lucros entre 13 e 14 milhões de euros.

Quanto à campanha publicitária que o BES tem em Espanha com Cristiano Ronaldo, Salgado afirmou que quando o jogador marca golos pelo Real Madrid, “também marca golos” pelo BES.

sexta-feira, outubro 21, 2011

BESI actualiza estimativas depois de descoberta da Galp em Moçambique

O resultado do teste feito na Costa de Moçambique pelo consórcio integrado pela Galp Energia revela uma descoberta de "classe mundial", dizem os analistas do BES Investimento.

O consórcio integrado pela Galp Energia envolvido nas actividades de produção e exploração de energia em Moçambique descobriu 15 biliões de pés cúbicos de gás natural no projecto Mamba Sul, na costa moçambicana.
Esta descoberta aumenta as reservas contingentes da Galp Energia em 1,2 biliões de pés cúbicos de gás natural, o que é equivalente a 206 milhões de equivalentes de barris de petróleo, “apenas da parte sul do bloco”, explica a nota de análise publicada esta manhã pelo BESI.

Na região de Mamba Norte, a estimativa é de 43 milhões de equivalentes de barris de petróleo, especifica a nota de “research”. O equivalente a barris de petróleo é uma unida de energia baseada na aproximação da energia produzida pela queima de um barril de petróleo.
Aumentámos a nossa estimativa de recursos em Moçambique para 249 milhões de equivalentes de barris de petróleo”, revela o BESI na nota de análise.
A descoberta de gás natural em águas profundas pelo consórcio da Galp Energia foi feito numa zona de “alta qualidade” e a descoberta ultrapassou o esperado antes da perfuração de um poço de teste.
O achado levou o consórcio a estimar que o gás existente no poço era de “pelo menos”, 15 biliões de pés cúbicos de gás natural, “o que pode ser considerado uma descoberta de classe mundial”.

quinta-feira, outubro 20, 2011

Timor-Leste: Empresas da China, Japão e Coreia do Sul interessadas na exploração de petróleo e gás

Empresas chinesas, sul-coreanas e japonesas já manifestaram interesse na exploração de petróleo e gás em Timor-Leste, mas ainda não há acordos assinados, disse hoje o ministro timorense da Economia e Desenvolvimento, João Gonçalves.

"Já há alguns contactos iniciais, não só com companhias chinesas, como com companhias sul-coreanas e o Japão também está interessado", afirmou o governante em entrevista em Macau, realçando que "há bastante interesse de vários países" na exploração de petróleo e gás em Timor-Leste.

Mas  Gonçalves garantiu que "neste momento ainda não há nada assinado", ao explicar que foi criada uma "companhia estatal timorense que irá negociar qualquer possível parceria com empresas estrangeiras para a exploração de petróleo e gás em Timor".

quarta-feira, outubro 19, 2011

Guiné: EUA investigam filho do Presidente Obiang

Os Estados Unidos vão avançar com uma investigação às suspeitas de corrupção e branqueamento de capitais do filho mais velho do Presidente da Guiné Equatorial, revelou hoje em comunicado a Human Rights Watch (HRW).

Segundo a organização de defesa dos direitos humanos, o Departamento de Justiça dos EUA avançou com um pedido oficial, a 6 de Outubro, num tribunal da Califórnia, pedindo esclarecimentos sobre os bens do filho mais velho de Teodoro Obiang, conhecido como Teodorín, que é ministro de Agricultura e Florestas, vice-presidente do partido no poder e apontado como a possível escolha do pai para o suceder na liderança do pequeno mas rico país africano.

Esta investigação às contas de Teodorín Obiang - que o Departamento de Justiça dos EUA iniciou em 2007, alegando "conduta criminosa suspeita", nomeadamente transferência ilícita de dinheiro e branqueamento de capitais derivados de extorsão, suborno e desvio de fundos públicos - veio a público na página online da revista Foreign Policy, a 13 de Outubro, à qual a HRW se junta agora com mais dados.

Reino Unido: Ronaldo em 3º mais influente

Ronaldo é o terceiro mais influente no Reino Unido, segundo o site AskMen.com.

O príncipe William de Inglaterra, de 29 anos, que casou com Kate Midlleton em abril, lidera uma lista de personalidades submetida à avaliação de 7000 leitores, para deliberar quem é o que mais impacto tem tido na vida do Reino Unido nos últimos 12 meses, tendo em conta os seus sucessos, perfil e estatuto.

O DJ francês David Guetta está em segundo lugar.
O apresentador de talk show Piers Morgan está em quarto lugar, enquanto o fundador do Facebook Mark Zuckerberg está em quinto.
O irmão de Guilherme, o príncipe Harry, está em 22º lugar, enquanto o primeiro-ministro britânico David Cameron ficou em 49º.
Drew Lubega, editor britânico do site, afirmou: "Este foi o ano em que os nossos leitores acreditam que o príncipe Guilherme finalmente desabrochou, tornando a família real acessível e cool, de uma maneira em que a anterior geração falhou. Ele é um trabalhador afincado, determinado em usar o seu perfil global para boas causas".

Vaticano quer autoridade financeira com competência universal

O Vaticano anunciou hoje ter preparado um documento para a reforma do sistema financeiro internacional no qual convoca a criação de uma "autoridade pública com competência universal".

O documento será apresentado na segunda-feira à imprensa e foi elaborado pelo Conselho Pontifício Justiça e Paz, liderado pelo cardeal africano Peter Kodwo Appiah Turkson.
"A reforma do sistema financeiro internacional na perspectiva de uma autoridade pública de competência universal" é o título do documento, que ainda não teve o seu conteúdo divulgado.

O Vaticano apresenta assim propostas concretas perante a crise económica e social que afeta o mundo desde 2008.
Bento XVI pronunciou-se em diversas ocasiões a favor de uma "intervenção pública" e denunciou o sistema económico atual e as suas consequências sobre os setores mais pobres da população, em particular os camponeses.
"A crise financeira mundial demonstrou a fragilidade do sistema económico atual e das instituições a elas conectadas", declarou o Papa em abril.

sexta-feira, outubro 14, 2011

Coisas Que me Irritam...

O despotismo do estado português... E não, não é pela eliminação dos subsídios de férias e de Natal. É porque este estado não se dá ao respeito. É porque diminui os salários dos funcionário públicos, mas multa os privados que o façam, é constitucional para o Estado (claro o tribunal constitucional lê a constituição ao sabor da cor politica que lá os colocou) e inconstitucional para os privados.

Agora retira os subsídios de férias e de Natal, mas só o estado pode, os outros chucham no dedo.

Não sou pelo empobrecimento dos portugueses, em última análise os responsáveis por terem dado poder a quem causou esta situação, mas sem equidade entre o estado e os demais compreensivelmente ninguém respeitará o poder parlamentar.

quarta-feira, outubro 12, 2011

ANA diz que 798 passageiros transportados no Aeroporto de Beja correspondem às expectativas

A primeira operação comercial de voos charter no aeroporto de Beja, que liga Londres e Beja e termina domingo, já transportou 798 passageiros e "correspondeu às expectativas", mas foi "bastante complicado" convencer operadores turísticos a comprar lugares.

"A operação correspondeu às expectativas" e, "em termos estatísticos", até ao passado domingo, dia em que se realizou a penúltima operação da ligação entre Londres e Beja, desembarcam no aeroporto de Beja 421 passageiros e embarcaram 377, disse hoje o porta-voz da ANA - Aeroportos de Portugal, Rui Oliveira. A repartição entre fluxos de entrada e saída só será possível obter através do estudo do perfil dos passageiros, que está a ser feito pelo Instituto Politécnico de Beja e cujos resultados deverão ser apresentados em Novembro, disse.

Segundo o responsável, "não foi tarefa fácil convencer um operador turístico a iniciar uma ligação a partir do aeroporto de Beja", porque o Alentejo "é um destino de baixa notoriedade turística internacional, tem uma oferta hoteleira de reduzida dimensão e diversidade e os operadores turísticos e companhias aéreas evidenciam uma reconhecida aversão ao risco".

Por outro lado, disse, "foi bastante complicado convencer outros operadores turísticos a comprar lugares" na operação, que desde 22 de maio liga semanalmente Londres e Beja.
Os "constrangimentos estruturais" do Alentejo e o "arranque tardio" da promoção da operação "fizeram com que os parceiros fossem conservadores nas expectativas em termos de volume de passageiros processados".

No entanto, sublinhou, segundo os dados preliminares do estudo do perfil dos passageiros, "a qualidade percepcionada pelos turistas foi alta", o que "permitirá alavancar o efeito de ´word of mouth' [boca a boca] junto de familiares e amigos dos turistas que visitaram o Alentejo através da operação", promovida pelo operador turístico britânico Sunvil e que termina no domingo, após 22 operações, num total de 44 voos charter.

Cada operação tem vindo a realizar-se ao domingo e incluído dois voos, um Heathrow-Beja e outro Beja-Heathrow, num avião Embraer da companhia aérea British Midland International (BMI) com 49 lugares.
De acordo com dados da Sunvil, os principais destinos dos turistas foram Tróia, Évora, Alqueva, Litoral Alentejano e áreas rurais dispersas pelo Alentejo.

Segundo Rui Oliveira, a Sunvil realça, como "notas negativas", o facto de o Alentejo ser "relativamente desconhecido fora de Portugal" e o mercado britânico não reconhecer o destino como uma região de férias.

"A região não dispõe de praias mediterrânicas e o aeroporto de Beja está afastado da costa" e, por isso, as distâncias e os tempos de deslocação dos turistas para a Costa Vicentina são "grandes", o que torna os transferes "caros", disse, referindo que o custo "reduzir-se-á" com maior volume de tráfego e a construção do Itinerário Principal 8 (futura Autoestrada 26).

Os factos de não existirem uma cidade costeira alentejana, onde o programa turístico se possa concentrar, e uma oferta hoteleira de baixo custo junto às praias, que poderia ser utilizada para encher lugares nos voos a baixo preço, são outras notas negativas.
O Alentejo "é bastante quente" no verão e o aeroporto de Beja, "por ser ainda pouco utilizado comercialmente, cria problemas logísticos", situação que poderá ser "obviada com a abertura de novas ligações com destino a Beja", disse.

terça-feira, outubro 11, 2011

Turistas procuram cada vez mais os países em crise à procura de preços mais baratos

A procura online de hotéis em Portugal aumentou 80%.

Os turistas que “andam à caça de pechinchas” estão a procurar mais destinos entre os países europeus atingidos pela crise financeira, segundo um relatório da Hotels.com, citado pelo Daily Mail.

Numa altura em que a Grécia, Itália, Irlanda, Portugal e Espanha registam apuros económicos nunca antes vistos, as suas indústrias do turismo estão em expansão”, sublinha o estudo.

A procura de hotéis em Portugal subiu fortemente. No Verão de 2011, teve um acréscimo de 80% face aos mesmos quatro meses de 2010.

As entidades hoteleiras de alguns dos países afectados [pela crise da dívida soberana na Zona Euro] reduziram o preço que cobram pela ocupação dos quartos, de modo a atraírem visitantes, uma vez que a procura interna caiu devido ao facto de os consumidores domésticos estarem a apertar os seus cintos”, declarou ao Daily Mail um porta-voz do Hotels.com, que conta com a versão portuguesa Hotéis.com e que se dedica às reservas de hotéis em todo o mundo, através da Internet.

terça-feira, outubro 04, 2011

Cabo-verdianos e portugueses analisam oportunidades na Guiné-Bissau

Um grupo de empresários cabo-verdianos e portugueses encontra-se na Guiné-Bissau para analisar oportunidades de negócios no país a convite do presidente da Câmara do Comércio, Indústria, Agricultura e Serviços (CCIAS) guineense, Braima Camara.
O responsável disse que a Guiné-Bissau "é hoje, finalmente, um país estável", onde já se começam a notar "os primeiros sinais de desenvolvimento".

O presidente da Câmara do Comércio guineense destacou as facilidades que o país oferece, não só em termos de potencialidades na agricultura, turismo, pesca, construção civil e prestações de serviços, mas também "o bom clima de entendimento" entre o governo e os empresários.

Camara citou a recente decisão do governo em aceitar as propostas apresentadas pela Câmara do Comércio para o novo código de investimentos e ainda a criação de um guichet único para a formalização das empresas.

Dirigindo-se particularmente aos empresários cabo-verdianos, Braima Camara disse que "é lamentável" que Cabo Verde esteja a importar milho, feijão, banana e outros produtos de países da América Latina, quando na Guiné-Bissau esses produtos se estragam. "Para nós, isso é uma ofensa, quando sabemos que os empresários cabo-verdianos vão à América Latina à procura de produtos que nós temos aqui em abundância e até a estragar-se", afirmou Braima Camara.

segunda-feira, outubro 03, 2011

Luso-canadiana candidata-se à presidência do Partido Liberal

A ex-deputada federal portuguesa Alexandra Mendes faz hoje o lançamento oficial da sua candidatura à presidência do Partido Liberal (PL) do Canadá.A eleição do novo dirigente máximo daquele partido federal canadiano efetua-se durante o congresso nacional marcado para janeiro próximo.
A sessão que dá início à campanha de Alexandra Mendes decorre ao final da tarde de hoje num restaurante na margem sul de Montreal, na área do seu distrito eleitoral de Brossard-La Praire, na província do Quebeque.
Com o período de candidaturas aberto até 10 de Novembro, deram entrada até ao momento quatro propostas. Sheila Copps, Ron Hartling, Mike Crawley, todos eles do Ontário.

"Eu sou a única candidata pelo Quebeque, completamente bilingue e canadiana da primeira geração", enalteceu Alexandra Mendes. "Lancei-me neste desafio com a intenção clara de participar ativamente na reconstrução e redinamização necessárias para que o Partido Liberal do Canadá volte a ser a força viva política que soube representar durante mais de um século", justificou.
A ex-deputada em Otava que com este projecto vinca a vontade de estar politicamente ativa ao mais alto nível frisou o que a moveu igualmente é a recusa de uma ideia de PL terá perdido razão de existência no panorama político canadiano, tendo em conta a embaraçosa e arrasadora derrota que obteve nas últimas legislativas federais, em que pela primeira vez deixou de ser o partido de alternância no Poder, ao tornar-se na terceira força política no país.

Alexandra Mendes foi declarada eleita deputada federal pelo círculo de Brossard-La Prairie nas eleições gerais de 2008, após ganhar o recurso de impugnação da contagem de votos.
Porém, nas últimas legislativas federais, decorridas a 2 de maio passado, os 24% dos votos depositados para Mendes no seu círculo não foram suficientes para ser reeleita, ficando mesmo longe dos 41% granjeados pelo novo deputado eleito Hoang Mai.
"A derrota que vivi nas eleições de maio foi um golpe e díficil de digerir, particularmente quando observo as muito reais ameaças de um governo maioritário conservador à nossa vivência democrática e à identificação como Canadianos", desabafou a ex-deputada nascida em Lisboa.

Afirmando-se preocupada com o atual governo conservador em Otava, Mendes comentou a situação vivida no Canadá e em Portugal. "Como canadiana de origem portuguesa, sinto que ambos os "meus" países vivem horas de grandes debates de identidade, provocados pela crise económica, mas vindos de uma fonte de insatisfação popular profunda e que é urgente que a encaremos de frente", salientou.
Segundo defende, "as questões de estabilidade económica só poderão encontrar resposta quando soubermos realmente que tipo de sociedade queremos deixar aos nossos filhos: uma sociedade justa, de oportunidade, durabilidade e de prosperidade iguais para todos os seus cidadãos ou sociedades de "cada um por si", com governos que só querem poder sem aceitar os enormes desafios de governar".

quarta-feira, setembro 21, 2011

Real Madrid anuncia criação de escolas "sócio-desportivas" em Timor-Leste

O governo de Timor-Leste e a Fundação Real Madrid assinaram hoje um protocolo na capital espanhola para a criação de "escolas sócio-desportivas" em Dili, Miliana e Baucau, de modo a "impulsionar a educação básica" nesse país.

Numa pequena nota publicada no site oficial dos merengues, o clube espanhol revela que o acordo foi selado no Estádio Santiago Bernabéu entre o vice-presidente da Fundação Real Madrid, Enrique Sánchez, e o secretário de Estado da Juventude e do Desporto de Timor-Leste, Miguel Manetelu.

O comunicado refere que este protocolo vai beneficiar 300 crianças entre os seis e os 13 anos durante 2011-12.

sábado, setembro 17, 2011

Há analistas que já retiram Portugal do grupo dos PIIGS

O ING Investment e o Deutsche Bank dizem que Portugal e a Irlanda estão numa situação melhor do que anteriormente, pelo que há quem sugira que se retire o P e um I da sigla PIIGS. A acontecer, o grupo passará a chamar-se IGS, pois incluirá apenas Itália, Grécia e Espanha.

Durante grande parte do Verão, os mercados aparentaram escolher, à vez, um diferente país europeu sobre o qual iam centrando as suas angústias, lembra a CNBC. Agora, segundo a mesma fonte, o acrónimo PIIGS – que representa os chamados países periféricos da Europa devido às dificuldades com que se têm deparado devido à crise da dívida soberana – poderá passar a IGS.
E porquê? Porque Portugal e Irlanda poderão sair deste grupo, por força da melhoria das suas situações internas.

Relembre-se que o acrónimo PIGS começou a ser usado por alguns jornalistas em 2008, representando quatro países que estavam em dificuldades: Portugal, Itália, Grécia e Espanha. Quando o “Financial Times” o usou, em Setembro desse ano, motivou protestos declarados por parte de um grupo de empresários espanhóis e pelo então ministro português da Economia, Manuel Pinho.

Mais tarde, passou a PIIGS, quando foi introduzida a Irlanda. E houve até quem se referisse à possibilidade de virem a ser os PIIGGS, sendo que o segundo ‘G’ seria para ‘Great Britain’ (Grã-Bretanha). No entanto, os britânicos têm sido deixados de fora, já que os mercados desviaram as atenções para outros países de fora deste grupo, como a França.

Agora, refere a CNBC, “Portugal e a Irlanda – que já ostentaram o crachá de ‘o próximo a cair na Zona Euro – saíram calmamente do centro do palco”. Os analistas do ING Investment e do Deutsche Bank corroboram esta perspectiva.

Estamos a observar sinais positivos nestes dois países”, comentou à CNBC o principal estratega do ING Investment – braço de “research” do banco holandês ING Gröep –, Valentijn van Nieuwenhuijzen. “Um dos aspectos que se tornou claro para os mercados foi que a Grécia é diferente dos outros países da periferia, já para não falar dos restantes membros da Zona Euro”, sublinhou.
De acordo com van Nieuwenhuijzen, Portugal e a Irlanda estão a conseguir ter um comportamento diferente e a dar uma resposta diferente à crise.

Os analistas do Deutsche Bank concordam. Numa nota de análise citada pela CNBC, referem que a evolução dos mercados obrigacionistas tem demonstrado que os desenvolvimentos na Irlanda podem ser vistos como “um dos poucos aspectos positivos dos últimos meses entre os países periféricos da Zona Euro”.

E prosseguem: “em termos orçamentais, a Irlanda tem tido um desempenho acima das metas definidas no âmbito do programa de ajuste económico, sendo que Portugal se mantém mais ou menos encarrilado”. Apesar desta melhoria, advertem que a economia portuguesa está particularmente vulnerável ao aperto orçamental e à desalavancagem do sector privado.

Sublinhe-se que estas análises foram feitas antes de ser divulgado o buraco nas contas da Madeira.

sexta-feira, setembro 16, 2011

Coimbra entre as 400 melhores universidades do mundo e a melhor portuguesa

A Universidade de Coimbra (UC) é a melhor portuguesa no “QS World University Rankings® 2011”, classificando-se a meio de uma tabela das 700 instituições mais prestigiadas do mundo, que é liderada pela de Cambridge, do Reino Unido.

É um reconhecimento bem vindo. Reforça a imagem que dia-a-dia tentamos construir”, declarou o reitor da UC, João Gabriel Silva. Na sua perspetiva “é muito importante neste tempo difícil” ter “uma imagem sólida, de qualidade”, pois ela “atrai estudantes, financiadores e professores”.

Com uma avaliação global de 29.77 pontos, a Universidade de Coimbra surge na 394ª posição, revelando-se assim a única instituição de ensino superior portuguesa a constar no 'Top' das 400 melhores universidades do mundo do 'ranking' publicado pela organização QS - Quacquarelli Symonds”, revela uma nota de imprensa da instituição coimbrã.

O “QS Top World University Rankings” considera cinco critérios para a atribuição da classificação: reputação académica (40%), empregabilidade (10%), citações científicas (20%), desempenho dos estudantes (20%), presença de corpo docente internacional (5%) e número de estudantes internacionais (5%).

Gabriel Silva realçou que um inquérito feito nesta avaliação a um conjunto muito alargado de pessoas no mundo revelou que a UC dispõe de “um prestígio muito grande” a nível internacional.
Esta classificação “é um ótimo incentivo, nestes tempos de dificuldade, vindo de um dos 'rankings' mundiais mais prestigiados, e corresponde ao recuperar pela Universidade de Coimbra da primeira posição que tinha perdido no ano passado”, sublinha o reitor.

De acordo com os resultados publicados, a UC é a universidade portuguesa mais bem posicionada em quatro dos 'rankings' por área científica, instituídos também pelo QS World University Rankings: Ciências da Vida e Medicina, no 325.º lugar; Artes e Humanidades, no 290º; Ciências Sociais e Gestão, no 282º, e Ciências Naturais, no 234.º, acrescenta a mesma nota de imprensa.

Justiça em Portugal II

Há muita coisa a puxar o país para debaixo de água, mas esta é uma das que tem a fatia de leão

quinta-feira, setembro 15, 2011

Estados Unidos cortam vistos a Portugal

A embaixada dos Estados Unidos em Lisboa está a rejeitar a atribuição de vistos a muitos portugueses que pretendem trabalhar naquele país. No ano de 2010 cerca de 15% dos portugueses que entraram nos Estados Unidos não regressaram no prazo de 90 dias. Ou seja, permaneceram no país em situação ilegal.

O incumprimento está a afectar, para já, quem se quer deslocar aos Estados Unidos por motivos de trabalho, mas há ainda o risco de vir a afectar os portugueses que simplesmente queiram deslocar-se ao país em turismo ou em negócios por uma curta temporada: ao contrário do que acontece actualmente, podem vir a precisar de visto prévio.

Portugal está em risco de ser excluído do programa "visa waiver program" (programa de isenção de visto): um privilégio atribuído pelo governo americano a 36 países, que permite que os seus cidadãos se desloquem àquele território por um período de 90 dias sem necessidade da obtenção de um visto. Os países abrangidos são os que têm um baixo índice de imigração ilegal nos EUA. O programa permite uma margem de incumprimento entre os 3% e os 3,7% e Portugal em 2010 terá excedido largamente essa quota permitida pelo Departamento de Estado.

"Há graves problemas com o visa waiver, que já me foram confirmados por congressistas. Estamos a exceder a nossa quota e, por causa dessa percentagem de ilegais, há vistos que estão a ser pedidos na embaixada e estão a ser rejeitados. Até ao ano passado, só um número mínimo de vistos era rejeitado", confirmou Fernando Rosa, presidente da PALCUS (Portuguese American Leadership Council of the United States), uma organização lobista que promove Portugal no Congresso e no Senado dos Estados Unidos.

Segundo Fernando Rosa, o programa que permite viajar entre Portugal e Estados Unidos sem grandes restrições, "é extremamente rígido". "As situações de incumprimento são seriamente analisadas num país que dá uma grande importância à segurança interna." Mas José Cesário, secretário de estado das comunidades, nega que haja "o risco de Portugal deixar de pertencer ao ''visa waiver''".

Se Portugal perder os privilégios do sistema de abolição de vistos, quem quiser viajar para os EUA, mesmo que seja em lazer, terá de solicitar previamente na embaixada o referido visto, tendo para isso de apresentar uma série de documentos, como acontecia antes de 1999, quando Portugal ainda não estava integrado no programa "visa waiver".
O processo já está na posse de alguns congressistas e Portugal terá agora de apelar a um processo de isenção de visto, que terá de ser aprovado pelo Congresso.

Paulo Portas viaja na próxima semana para Washington e a visita deve incluir um encontro com a secretária de estado Hillary Clinton. Contactado o Ministério dos Negócios Estrangeiros não confirmou se este será um dos assuntos em cima da mesa.

Segundo Fernando Rosa, não é a primeira vez que Portugal não cumpre a quota, mas "é a primeira vez que os números são bastante elevados". A crise em Portugal estará a provocar um grande fluxo migratório para os Estados Unidos.
Os portugueses já não se deslocam para os sítios habituais, mas para cidades norte-americanas como Boston, Nova Iorque, Chicago ou mesmo para Miami. "Quem vem já não procura as comunidades. Sabem inglês e já vêm preparados. Vêm sem visto, mas se encontram um bom trabalho, depois, claro, não querem regressar" a Portugal.

Alguém que viaje para os Estados Unidos sem visto e consiga trabalho, precisa obrigatoriamente de voltar a Portugal no prazo de 90 dias, dirigir-se à embaixada e solicitar um novo visto, sendo obrigado a apresentar um comprovativo de emprego para poder permanecer nos EUA.

terça-feira, setembro 13, 2011

«O Cônsul de Bordéus» esgotou Cinemateca de Televive

A VII Semana de Cinema Português em Israel abriu na segunda-feira, na Cinemateca de Telavive, com a exibição do filme "O Cônsul de Bordéus", de Francisco Manso e João Corrêa, numa sala com lotação esgotada.
A sessão inaugural contou com as presenças do ator Vítor Norte, que desempenha o papel de Aristides de Sousa Mendes, e do produtor do filme, José Mazeda.
Na cerimónia de abertura, o diretor da Cinemateca de Telavive, Alon Garbuz, destacou o facto de a Semana do Cinema Português, organizada pela Embaixada de Portugal em Israel e pelo Instituto Camões, já fazer parte do calendário cultural da cidade israelita.

Ongoing vai criar Centro de Investigação na China

A Ongoing assinou um acordo com o governo da província de Fugian, na costa leste da China, que visa a criação de um Centro de Investigação e Desenvolvimento com o objectivo de promover as relações com os países de língua portuguesa.
"É a primeira vez que o governo de Fujian assina um acordo deste tipo com uma empresa privada estrangeira", disse hoje Fernando Maia Cerqueira, responsável da Ongoing para as operações na China. "Além de localizar soluções tecnológicas adaptadas ao mercado chinês, na área do software para a saúde ou do e-learning, por exemplo, queremos articular negócios e projectos de investimento com os países de língua portuguesa, o que também interessa à China", indicou Maia Cerqueira.

O acordo, que prevê ainda a criação de um centro cultural sino-português, foi assinado pelo presidente da Ongoing, Nuno Vasconcellos, e o director do departamento de Comércio Externo e Cooperação Económica de Fujian, Li Changcong, durante a 15ª edição da China International Fair foi Investiment and Trade, em Xiamen. Considerado um dos mais importantes certames do género realizados na China, a feira de Xiamen, de 7 a 11 de Setembro, reúne este ano cerca de 600 delegações estrangeiras.

Moçambique interessado nos autocarros elétricos da CaetanoBus

O governo moçambicano demonstrou interesse na aquisição dos autocarros eléctricos produzidos pela CaetanoBus e poderá visitar Portugal até ao final do ano, disse hoje o ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira.

Numa declaração feita no dia da cerimónia de início dos testes do autocarro eléctrico desenvolvido pela empresa e pela Efacec, que vão decorrer em Vila Nova de Gaia e na Alemanha, Santos Pereira salientou que, naquele país, a primeira linha regular de autocarros eléctricos vai ser composta por autocarros portugueses, o que "deve ser um orgulho".
Na sequência da visita do secretário de Estado adjunto da Economia, António Almeida Henriques, no começo do mês a Moçambique, o projecto da Salvador Caetano foi apresentado ao Ministério moçambicano dos Transportes e Comunicações, que se mostrou interessado em visitar a fábrica portuguesa para avaliar o potencial deste meio, segundo explicou fonte oficial do Ministério.
O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Luís Filipe Menezes, afirmou, à saída de uma viagem de teste com jornalistas hoje naquele concelho, que se o projecto tiver sucesso pode ser um modelo, em termos de exportações, "para ir vender nos países do leste da Europa ou em África".

O presidente da CaetanoBus, José Ramos, explicou que o autocarro eléctrico EL2500 tem 8 a 10 horas de utilização diária, sendo a "solução mais atractiva para complementar as actuais redes de metro", com uma autonomia para 100 a 150 quilómetros.
No campo da mobilidade sustentável, uma área que o ministro destacou pela sua actualidade face aos desafios colocados pelos temas do ambiente, José Ramos disse que a empresa está a "estudar a implementação de um projecto inovador" neste sector e que poderá contemplar Portugal.

segunda-feira, setembro 12, 2011

Emprego vai forçar jovens açorianos qualificados a emigrar

Especialista luso-canadiano explica que no Canadá há abertura para recepção de emigrantes especializados.

Os jovens açorianos com formação especializada vão ter nos próximos anos de abandonar o arquipélago para encontrar trabalho, fixando-se em países ricos europeus ou "descobrindo de novo as Américas", advertiu hoje o especialista luso-canadiano José Carlos Teixeira.
Para este professor da Universidade de British Columbia, que se encontra em Ponta Delgada para participar na 16.ª Conferência Internacional Metropólis, o maior fórum mundial sobre migrações, em ilhas relativamente pequenas, como os Açores, "há cada vez menos oportunidades para os jovens qualificados".

"Os jovens açorianos qualificados vão ter de sair, não estou a ver uma solução a curto prazo para o seu problema de emprego", frisou Teixeira, sublinhando que o Canadá garante condições de acolhimento para cidadãos estrangeiros com formação universitária.
Este especialista luso-canadiano explicou que "no Canadá há abertura para recepção de emigrantes especializados, embora muitos dos programas com esse objectivo apontem para a fixação fora das grandes cidades, como Montreal, Toronto ou Vancouver, privilegiando localidades rurais, menores".

"Seria óptimo que esses jovens formados fossem enriquecer a presença portuguesa na América do Norte", acrescentou, admitindo a "concorrência" na captação de activos qualificados por parte do "mercado europeu, um mercado tremendo, apesar das crises e das recessões".

Para Teixeira, a favor da "redescoberta das Américas" por parte dos jovens açorianos pesa a dimensão da comunidade de origem açoriana radicada nesses dois países, com cerca de um milhão de pessoas nos EUA e 500 mil no Canadá.

FMI considera economia de São Tomé "positiva"

O Fundo Monetário Internacional (FMI) considerou que o estado macroeconómico de São Tomé e Príncipe é "positivo em termos gerais", apesar de considerar que "a inflação está acima do desejado".
"Fizemos uma avaliação positiva, realmente está-se a caminhar para uma recuperação em termos de crescimento económico, embora algo lento, mas está-se a avançar", disse o chefe da missão do FMI, Csigi Sikata. "Estamos em crer que [os preços] irão baixar nos próximos meses, portanto em termos macroeconómicos a baixa da inflação será também positiva", acrescentou.

Durante duas semanas, os peritos do FMI passaram a pente fino o sistema macroeconómico e financeiro do arquipélago, tendo no final da avaliação a missão do FMI deu nota positiva ao desempenho do governo são-tomense. "Há realmente avanços consideráveis a registar. Quanto ao orçamento, constatámos que a receita foi realmente bastante forte durante estes primeiros seis meses, havendo claramente um esforço por parte do governo para se manter dentro daquilo que estava programado", sublinhou o representante do Fundo Monetário Internacional.

A missão do FMI teve encontros com o governo são-tomense, a Assembleia Nacional (parlamento), o Banco Central, com bancos comerciais e sindicatos e deixou este fim-de-semana a capital são-tomense, mostrando-se satisfeita com a redução da burocracia para a criação de empresas, e afirmandando que houve aumento de receitas e congratulou-se com as medidas do banco central para solidificar o sistema financeiro nacional.
"O banco central tem vindo a reforçar claramente a suas funções de supervisão e registamos com agrado a intervenção num banco comercial, cuja gestão era deficitária", enfatizou Sikata, que considera necessário o governo do arquipélago "melhorar o ambiente empresarial", reduzindo as imposições legais que são colocadas à criação de empresas.

Apesar da boa performance da economia são-tomense, o FMI constatou que o país tem ainda pela frente um grande desafio. O sector energético continua deficitário, e o Fundo detectou um grande passivo no orçamento geral do Estado devido às dívidas que as câmaras distritais e o governo regional contraíram com a empresa de água e electricidade (EMAE).
"Apurou-se realmente uma grande acumulação de [dívidas] por parte de municípios e da região autónoma para com a EMAE. Obviamente isto revela-se um peso para o orçamento que, a não ser tratado, irá significar um grande fardo para o governo, já que terá honrar esses pagamentos", explicou Sikata.

Justiça em Portugal

Que é lenta sabemos, que é má ... muitas vezes.
Mas não é isso que me leva a escrever. Li mais uma vez que se pede agora para o Violador de Telheiras uma "pena exemplar".

Realmente gostaria de saber o que é uma "pena exemplar"!!! É que isto dos exemplos é tramado, porque em Portugal o que parece, é que em cada caso mediático se pedem estas "penas exemplares" para tapar com a peneira a inoperância do sistema judiciário.

Como todo o sistema tende para o ineficaz... mete-se medo à populaça com estas "penas exemplares".

A pena tem de ser justa e nada mais... nem tem de ser exemplar nem deixar de ser.

sexta-feira, setembro 09, 2011

Maior congresso médico realizado em Portugal já esgotou quartos de hotel em Lisboa

O maior congresso médico alguma vez realizado em Portugal começa na segunda-feira em Lisboa, é dedicado à diabetes e reúne mais de 18 mil especialistas, que já esgotaram todos os quartos de hotel da capital.

"Trata-se do maior congresso médico que alguma vez existiu em Portugal, com mais de 18 mil pessoas, a maioria médicos, mas também outros profissionais ligados à saúde e à indústria farmacêutica. O congresso decorre no Pavilhão Atlântico e em mais quatro pavilhões da FIL", disse Luís Gardete, responsável pela organização do evento.
Destacando ainda a grandiosidade do congresso, Gardete adiantou que já há pessoas a dormir a 100 quilómetros de distância ou a alugar quartos particulares.
No congresso anual da EASD - European Association for the Study of Diabetes, instituto europeu com sede em Dusseldorf, serão apresentados todos os temas relacionados com a doença, como as suas complicações, as várias opções de tratamento, relação entre diabetes e cancro ou novas medicações, entre outros temas.
Estão previstas 1.200 comunicações, entre orais e 'posters', e todos os dias haverá uma "lecture", que são temas principais muito fortes, que dão uma lição ou fazem um ponto da situação, disse.
Portugal tem 42 trabalhos apresentados e aceites, destacou o responsável, sublinhando que "este é um número muito bom que nos coloca à frente de outros países europeus, como a Suíça".
A sessão de abertura terá lugar na segunda-feira ao fim do dia, estando previsto para depois dos discursos um momento musical de fado, com Cristina Branco.
Durante a manhã desse dia, decorrerão simpósios da indústria farmacêutica, fora do contexto do congresso, ao mesmo tempo que 150 autocarros descarregam na zona do Parque das Nações pessoas para participar no evento. Depois de se iniciar o congresso, serão distribuídos aos participantes bilhetes para viajar no Metro e na Carris durante os cinco dias.
Gardete lembrou que as estimativas apontam para a existência de 1 milhão de diabéticos em Portugal, 40% sem diagnóstico feito.
"O diagnóstico precoce é importante para não haver complicações, que podem ser várias como a retinopatia, que pode conduzir à cegueira, e a nefropatia, que pode levar à insuficiência renal ou o enfarte do miocárdio", realçou. Além disso, há uma redução de esperança de vida significativa nas pessoas não controladas. O diagnóstico não é feito na maior parte das vezes porque as pessoas não têm sintomatologia, apenas pequenas manifestações que não chamam a atenção, acrescentou.
O comité internacional da EASD é representado por Viktor Jörgens, director executivo deste instituto, e por Luís Gardete, presidente da Comissão Organizadora e também presidente da Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal. O congresso decorre entre 12 e 16 deste mês.

quinta-feira, setembro 08, 2011

Timor-Leste vai passar a contar com Banco Central

A antiga colónia portuguesa vai transformar a actual Autoridade Bancária e de Pagamentos (ABP) em banco central.


A inauguração do Banco Central de Timor-Leste dar-se-á a dia 13 de Setembro. O organismo com sede em Dili estará encarregue de implementar as políticas que permitam obter e manter a estabilidade de preços interna. A nova autoridade resulta da conversão da actual ABP em Banco Central, segundo o “site” da própria.
A Lei Orgânica do Banco Central foi aprovada pelo Parlamento Nacional”, promulaga pelo presidente do país, Ramos-Horta e aprovada no dia 15 de Junho, diz o comunicado publicado hoje no Portal dos Bancos Centrais de Países de Língua Portuguesa.
A nova autoridade monetária chamar-se-á Banco Central de Timor-Leste (BCTL). As suas responsabilidades passam por fornecer liquidez à economia, regular e supervisionar o mercado bancário e, no futuro, será responsável também por regular o mercado segurador, diz o "site" da ABP.

segunda-feira, setembro 05, 2011

Hotel Vila Joya eleito melhor boutique resort europeu

O Hotel Vila Joya, em Albufeira, foi distinguido sexta-feira nos World Travel Awards (WTA) 2011, cerimónia que distingue o que profissionais do sector turístico e agentes de viagens consideram ser o que de melhor existe no turismo na Europa.


O hotel foi premiado na categoria de melhor ‘boutique’ ‘resort’ europeu, derrotando concorrentes da Grécia, Turquia, Croácia e Itália, bem como o Choupana Hills Resort & Spa, também de Portugal.
A cerimónia final de entrega dos prémios decorreu em Antália, na Turquia, e Portugal tinha 29 nomeações a concurso, boa parte delas em categorias semelhantes, todavia.
A Lufthansa foi eleita a melhor companhia europeia, numa categoria onde a TAP estava a concurso, ao passo que o aeroporto de Zurique, na Suíça, foi escolhido como o melhor na Europa, derrotando Lisboa e outros destinos como Londres, por via do aeroporto de Heathrow.
Lisboa foi derrotada por Istambul, na Turquia, na categoria de melhor destino de curta duração na cidade ('city break').
A cerimónia distinguiu ainda seis hotéis portugueses para categorias internas: o Marriott foi eleito o melhor hotel de conferências de Portugal, ao passo que o Pine Cliffs Resort venceu na categoria de ‘resort’ familiar. O Marriott Golf & Beach Resort, por sua vez, foi eleito o melhor ‘resort’ de golfe do País, com o Hotel Quinta do Lago a situar-se como o melhor no que a ‘resorts’ dedicados ao Spa diz respeito. O Pestana Palace destacou-se como o melhor hotel de Portugal e o Hilton de Vilamoura é o melhor ‘resort’ no País.


Os WTA foram criados em 1993 para estimular a competitividade e a qualidade do turismo na Europa.